Poemas de Linaldo Guedes

Linaldo Guedes
Autor do livro “Metáforas para um duelo no sertão”, Linaldo Guedes é poeta e jornalista. Nasceu em Cajazeiras (Alto Sertão da Paraíba) em 1968. Lançou dois livros de poemas: Os zumbis também escutam blues (Editora A União, 1998) e Intervalo Lírico (Forma Editorial, 2005). Como jornalista, atuou nos principais jornais da Paraíba e foi editor do suplemento Correio das Artes por seis anos.

Seus trabalhos podem ser acompanhados no site: Linaldo Guedes


Açude Grande

como era grande o meu açude!

um pouco poluído, é verdade
com seus lodos e lamas
sendo tapetes para lavadeiras

até onde a memória alcança
já o conheci assim:
lavando a roupa de todas as cajazeiras

até onde a memória entende
já o estranhava assim:
sem banhar a gente da cidade

mas era grande o meu açude!

e tinha um pôr-do-sol arretado!

***

Primeira infância

os meninos do sertão
já nascem sorrindo para a rua

às vezes nus
outras, não

fazem dos paralelepípedos
residências oficiais de verão
(já que o inverno é exceção na alma)

os meninos do sertão nascem livres para sonhar

***

Mapa de rugas
(para isabel allende)

o mapa de minhas rugas
não cabe na palma de mil mãos

são cartografias com milhões de afluentes
extensão territorial de barro marcada na pele branca

clientes de minhas rugas
minhas teimosias e aleivosias
e de tantos rasgos de dores
- que abrem fendas de fato
sempre a calar fênix diante de minhas ruínas




Comentários

Postagens mais visitadas