MISANTROPIA - 1


1 - GENEALOGIA

Adélia Prado, mineira de Divinópolis, iniciou suas publicações em 1976 com o livro Bagagem. Uma estreia que passou pelo crivo de Affonso Romano de Sant'Anna que recebeu seus originais, passando-os a Carlos Drummond de Andrade que considerou o trabalho valioso e digno de publicação. Assim, surgia uma escritora para o cenário da literatura brasileira, que com o passar dos anos foi consolidando sua obra. 
As nuances do olhar feminino sobre as coisas, a tradição religiosa dos confins de Minas e  um lirismo pungente são características que se avultam em sua obra, tornando assim, muito agradável a sua leitura.



ENTREVISTA

Um homem do mundo me perguntou:
o que você pensa do sexo?
Uma das maravilhas da criação, eu respondi.
Ele ficou atrapalhado, porque confunde as coisas
e esperava que eu dissesse maldição,
só porque antes lhe confiara: o destino do homem
                                                                  [ é a santidade.

A mulher que me perguntou cheia de ódio:
você raspa lá? perguntou sorrindo, 
achando que assim melhor me assassinava.
Magníficos são o cálice e a vara que ele contém,
peludos ou não.
Santo, santo, santo é o amor, porque vem de Deus,
não porque uso luva ou navalha.
Que pode contra ele o excremento?
Mesmo a rosa, que pode a seu favor?
Se "cobre a multidão dos pecados e é benigno,
como a morte duro, como o inferno tenaz",
descansa em teu amor, que bem estás.

***Poema do livro O Coração disparado, 1978.


2 - NOTÁVEIS

Desses Brasis, que há por aí afora, surgem versos e reversos em poesias várias que inflamam e queimam e ardem; como um fogo-fátuo reverberam em transbordamento de palavras que esvoaçam feito borboletas a sairem do casulo e pousarem ante os olhos dos leitores. Assim, apresento Beatriz Bajo e sua poesia, que pode ser apreciada no blog LINDA GRAAL.
Beatriz nasceu em São Paulo, em 1980. Morou no Rio de Janeiro e vive atualmente em Londrina - PR. É escritora, poeta, tradutora, revisora e professora de língua portuguesa e literatura. Especialista em Literatura Brasileira. Tem dois livros publicados: A Face do Fogo (2010) e :A Palavra é (2010), este segundo forma a TRÍADE junto com obras de Célia Musilli e Edra Moraes.



 "(...) o livro é um painel manchado com as tintas de metaforizar. inicialmente aparece a prosa em "a febre dos vitrais" e os poemas em "a face do fogo", tudo apalavrado no prefácio do meu parceiro (pra além das nominações) Marcelo Ariel em "A paixão segundo Beatriz Bajo", a orelha é do poeta português Luis Serguilha e a quarta capa (só podia ser dela) de Andréa del Fuego, a querida dona das fabulações. o que se pode ler é pura intensidade no sentido de adensar os signos que investigo (os iniciais), pavio de encantamento na agulha do meu dizer."  (Este texto encontra-se na integra em: A face do fogo)






" : a palavra é constitui-se em um poema longo, composto de subdivisões que se centram na ideia fundamental de investigar as múltiplas facetas significativas e suas nuances tanto aproximadas quanto distanciadas quando há mesclas de idiomas, no caso o português e o espanhol.
a concepção dá-se acerca da reflexão da natureza como princípio do amor, e como este amor imortaliza-se, superando a finitude, por meio do prolongamento do corpo dentro da natureza que alcança o outro na dissolução dos eus." (Leia mais em: :A PALAVRA É ).





                                
AVE MOCINHA
enroladinha
preparo-me um cativeiro

gaiolas de goelas
de engasgadas amantes
querendo seio beijo bico

patinha quase galinha
Pombinha esperando voar

surpresa
[presa]
sussurro carmim
de fim entorpecido

pressentimento
inflamação
de medo

ode lírica ido
levante e esnobe
a corte.

corte com isso
esse elo Pequim
casa da moeda
casa da sorte
casa da morte

casa botão de rosa
cortiço de mim.

***Poema do livro A FACE DO FOGO, 2010.


3 - ESCRIVANINHA





COMUNICAÇÃO

Numa expressão vernácula
tentei exprimir aptidão
ante o normatismo hermético
que vislumbrava a linguagem
de minha mãe pátria.

Porém, me perdi em miopia
no primitivo linguajar
dos corpos nus.

Foi o melhor diálogo!

Flávio O. Ferreira
***Poema do Livro ITINERÁRIO FRAGMENTADO (2009)




Comentários

  1. deu vontade de conhecer o livo todo...
    muito bom o blog. mesmo.

    ResponderExcluir
  2. Flávio, muito boa essa estrutura que você aplicou ao blog! E as escolhas até agora acertadas, sem dúvida! Só fera - esse poema da Beatriz é top! Abraços, meu camarada!

    ResponderExcluir
  3. bom sim...vou ler mais da Bea.
    bjbjbj

    ResponderExcluir

Postar um comentário

SEJAM BEM-VINDOS!
Caríssimos amigos leitores, escritores, poetas e seguidores:

é com grande entusiasmo que lhes recebo em meu espaço. Façam dele um lugar de interação e descobertas, quiçá, aprendizado e trocas de experiências. Todos os comentários e/ou sugestões são bem-vindos. Boa leitura a todos! Apreciem, se refestelem e comentem.

Abraços.
Flávio O. Ferreira

Postagens mais visitadas