Eu te adoro

Não quero ficar na superfície ruidosa do palavreado, porém, tudo se engasta num timbre antiquado. Minhas retinas não vêem um palmo sequer. Um manto estranho encobre tudo que poderia ser dito. Balbucio para mim mesmo as palavras que se uniram em um mosaico de outrora: "eu te adoro." Estas, entram-me pelo ouvido como um gemido final, último sussurro, último suspiro. Percorrem silenciosa e sorrateiramente este caminho longínquo que nos separa, e repousa lá no fundo deste peito palpitante que se esmera em busca de um sentido para a vida.

"Eu te adoro" – não aquela adoração religiosa, repleta de uma veneração imaculada e arrebatadora. Mas, uma adoração singela, cheia de sinceridade, com a simplicidade do contemplamento. Uma admiração profunda por um ser perfeito em suas imperfeições, coerente em sua falta de nexo e belo em sua natureza.

Quando digo "eu te adoro", digo a mim mesmo, como forma de afirmar-me a tua adoração ante a minha dando um sentido completo à única certeza que há em meu espírito. Contudo, não espero que me adores com a mesma intensidade, pois todos nós temos nossas medidas de adoração e merecimento; no entanto, o fato de adorar-te faz de mim um ser repleto; infinitamente preenchido de uma luz irradiante que emana de teu sorriso. Mesmo que não te veja. Mesmo que não te toque. Mesmo que tua ausência supere a tua presença ante meus olhos, não há 'por que' não adorar-te, pois bastou a mim, um único segundo a contemplar-te inteira para que eu regressasse ao meu estado primitivo de adoração, como aquele que aprecia pela primeira vez o surgimento do fogo. Como aquele que, na ânsia de deixar registrada sua adoração, sem os grandes recursos de comunicação, pinta nas pedras, no interior de suas cavernas, através de hieróglifos o seu contentamento em apreciar o deus sol.

Assim, como aqueles, pinto nestas pautas, palavras compreensivas, sem adornos. Deixo registrado o que, por ventura, tu já sabes. No entanto, impregno-me inteiro e com satisfação, pois, neste instante, as paredes de meu coração se vêem repletas de hieróglifos com os dizeres de minha adoração direcionada a alguém que ausculta este peito apesar da ausência.


Comentários

  1. Anônimo1:52 PM

    Esta foi a mensagem mais linda que já li em toda minha vida!!! Continue assim... Bjos... Simone Wolf

    ResponderExcluir
  2. Anônimo6:00 PM

    Olá Flavio que Deus abençoe vc com seu don e talento pra escrever palavras maravilhosas adoreiiiiii mesmo um abraço.

    ResponderExcluir
  3. Offer

    estou aqui me atualizando do seu blog, está muito legal.

    beijos

    Paola

    ResponderExcluir
  4. Simplesmente, adorei! Quando eu "crescer" quero escrever assim. Escrito com alma! Passarei aqui mais vezes. Beijos.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

SEJAM BEM-VINDOS!
Caríssimos amigos leitores, escritores, poetas e seguidores:

é com grande entusiasmo que lhes recebo em meu espaço. Façam dele um lugar de interação e descobertas, quiçá, aprendizado e trocas de experiências. Todos os comentários e/ou sugestões são bem-vindos. Boa leitura a todos! Apreciem, se refestelem e comentem.

Abraços.
Flávio O. Ferreira

Postagens mais visitadas