Poemeto III

Um sorriso
se estende pela face
aniquilando
a imprecisão de seus versos.
.
Anoitece no coração
do poeta
e o que era verbo
se torna
simples silêncio
na perfeição do estilete
a escrever poemas
em seu peito.
.
.
.
***Poema do livro "ITINERÁRIO FRAGMENTADO" no prelo, publicação prevista para 2009.

Comentários

  1. rasgar toda forma já feita
    descarrilhar imagens
    o trem de cabeça pra baixo
    penetrar a buceta da gramática
    como quem penetra a buceta na madruga. a língua na língua

    enrabar o texto no contexto vivido

    simplificar tudo em três versos e com a capacidade de rir diante do eclipse.

    ResponderExcluir
  2. A poesia é múltipla por permitir que o infinito decada um se expresse tão singularmente...

    ResponderExcluir
  3. Anônimo6:22 PM

    O risco vago do estilete da vida sobre o peito que acovarda um coração de morte ... nos arrasta ate o afago desta febre inerte.. deste verso singular !!

    Parabéns meu Caro .. Flávio .

    Cleber Antonio Nunes.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

SEJAM BEM-VINDOS!
Caríssimos amigos leitores, escritores, poetas e seguidores:

é com grande entusiasmo que lhes recebo em meu espaço. Façam dele um lugar de interação e descobertas, quiçá, aprendizado e trocas de experiências. Todos os comentários e/ou sugestões são bem-vindos. Boa leitura a todos! Apreciem, se refestelem e comentem.

Abraços.
Flávio O. Ferreira

Postagens mais visitadas